Blog Educação Infantil

O Beto era um menino muito legal, querido com todos e de um grande coração. Ele tinha um sonho que o acompanhou por anos: ter um pinheirinho de Natal na sua casa! Com ajuda de todos os seus amigos, o sonho se tornou possível, fazendo do Natal uma época ainda mais especial.
Inspiradas na ideia do Beto, personagem da história “A árvore do Beto”, de Ruth Rocha, as crianças do Nível 4 de ambas unidades do CEAT criaram os seus enfeites natalinos para decorarem o pinheiro de Natal.

Você conhece o brinquedo chamado Balangandã?
Sim! Não?


As crianças do Nível 4 aprenderam a fazer e a brincar com este brinquedo que está ligado ao folclore e tem origem africana. Em seu formato tradicional era usado como amuleto, composto por vários cordões e elementos pendentes. O balangandã trabalha a percepção visual, estimula o desenvolvimento motor, a criatividade, a dança e o movimento.
A proposta deste trabalho é das professoras Aline Kuhn, Ana Paula Tessmann, Deise Ana Marchetti e Vanessa Enderle.

Hoje vamos falar sobre desafios!

Quem não gosta de um bom desafio?
Pensar, pensar, ter ideias e tentar encontrar uma solução!

As turmas do Nível 4 têm a Caixa dos Desafios, um convite para desafiar-se, divertir-se e brincar muito! Os desafios envolvem números, letras, sons e brincadeiras com o corpo.
A proposta acontece nas turmas das professoras Aline Kuhn, Ana Paula Tessmann, Deise Ana Marchetti e Vvanessa Enderle.

Você já ouviu falar em brinquedos folclóricos?
As crianças do Nível 4 já!
Através de vídeos explicativos e de momentos ao vivo, as professoras e os alunos confeccionaram seus próprios brinquedos folclóricos: a peteca e a bola de meia.
A peteca era muito utilizada pelos indígenas para se aquecerem durante a época mais fria do ano e esta tradição, com o passar dos anos, se transformou num esporte. Já a bola de meia é um brinquedo muito fácil de ser confeccionado e pode dar origem a muitas brincadeiras diferentes.
Os brinquedos folclóricos, além da magia e da diversão, trazem uma contribuição afetiva, repleta de significados para quem brinca e para quem ensina as novas gerações. Preservar essas brincadeiras é uma forma de resgatar os valores culturais que são passados a cada geração.
As propostas trabalhadas nas salas de aula virtuais foram desenvolvidas pelas professoras Aline Kuhn, Ana Paula Tessmann, Deise Ana Marchetti e Vanessa Enderle.

Que tal fazer um piquenique pelo Google Meet?
A turma do Berçário D, das professoras Ana Cristina Fell e Daiane Horn, vivenciou este momento especial nesta quinta-feira. Desta vez, o lanche saudável não pôde ser compartilhado, mas a vivência de estar junto virtualmente foi de muito afeto, exploração e diversão. Como é bom estar com os bebês e saber que estão bem!

Toshyro Inovação e Tecnologia